Mais uma do Pedro

Curtam mais uma história do Pedro no blog Contos que nem te conto.

Existem alienígenas?

Muita gente olha para o céu e vê coisas se mexendo lá em cima. Algumas vezes podem ser uns dragões mais descuidados, ou estrelas fazendo travessuras enquanto a Lua olha para o outro lado, ou mesmo aviões. Mas Tem gente que tem certeza de que são alienígenas vindos de outro planeta.

Bom, as vezes em que essas pessoas me disseram ver uns bichos estranhos voando, eu percebi que, de certa forma, elas tinham razão. Confirmei que não eram dragões, nem estrelas e nem mesmo aviões. Eram realmente uns bichos muito estranhos voando.

Só que não eram alienígenas, eram bichos aqui da Terra mesmo. A parte estranha é que não deviam estar voando. Eu nunca disse nada para ninguém porque isso é um segredo, mas tanta gente já viu esses bichos voando que acho que não vou contar mais nenhuma novidade.

Eles são os animais da Noite dos Bichos Voadores. Mas como eles fazem para voar? Bom, essa história era um segredo, até agora.

Acontece que, depois que os pássaros começaram a voar, os outros bichos também quiseram. As aves não gostaram muito da idéia, mas acabaram com pena do resto dos animais.E até se tentou ensinar, pela técnica da galinha voadora de cair e balançar os braços. Mas tudo o que conseguiram foi um monte de bicho se estatelando de cara no chão com os braços abertos.

O problema é que ninguém tinha algo muito importante para poder voar: os “braços estranhos” ou asas. Nem mesmo os animais aquáticos, têm “braços” parecidos com asas, conseguiram. Os golfinhos e as baleias tentam até hoje voar pelo método da galinha voadora e ficam saltando por aí. Mas não conseguem sem ajuda.

E foi exatamente com ajuda que os animais conseguiram voar. Depois de um dia inteiro de tentativas e queixos machucados dos bichos, todos foram se deitar doloridos e gemendo. Quando a Lua saiu no céu e escutou toda aquela gemedeira aqui embaixo, foi ver o que estava acontecendo. A Lua descobriu toda a história e ficou com pena dos pobres animais que tinham se esforçado tanto e, mesmo assim, não conseguiam voar.

Os animais perceberam, de repente, que a Lua estava perdendo seu brilho. Porém, quanto mais a Lua se apagava, mais e mais bichos percebiam que podiam voar.

Essa ficou conhecida como a Noite dos Bichos Voadores. E ela acontece uma ou duas vezes por mês, sempre que a Lua estiver apagada por emprestar seu poder para os animais.

Às vezes, se escuta os cachorros uivando para a Lua ou os gatos miando de noite no telhado ou mesmo se percebe os animais inquietos no Zoo. É que eles estão pedindo para a Lua para voarem, mas nem sempre a Lua pode ajudar.

As pessoas estranham muito ver aqueles bichos todos voando. Sem ter a luz da Lua para iluminá-los e todos poderem ver o que são, muita gente não acredita que sejam seus cachorros, gatos e elefantes. É mais fácil achar que são alienígenas.

Nós é que não vamos contar o segredo dos animais, não é?

Por que temos que comer vegetais?

Essa é uma pergunta que eu já me fiz várias vezes. Toda vez que vejo um espinafre ou uma couve-flor, eu penso nela. Mas a resposta sempre me faz comer tudo direitinho até o final.

Bom, você sabe que fome e vontade de comer são coisas bem diferentes, certo? Não? É verdade! A vontade de comer vem de dentro da nossa cabeça, enquanto a fome vem da nossa barriga. E cada uma tem sua razão de ser.

A vontade de comer é o que faz a gente comer mais do que precisa. É o que nos dá desejo de comer a comida favorita, o bolo da avó, o sorvete da esquina. Ela não tem hora para aparecer e só para depois de saciada. E é tudo culpa do Nhonho.

De quê? Do Nhonho, um bichinho gordinho e de olhos grandes que vive dentro da nossa cabeça. Ninguém sabe direito onde dentro da nossa cabeça que ele mora, mas eu suspeito que seja entre os olhos e o nariz. Ou, pelo menos, é onde fica o meu, porque ele não pode ver nem sentir o cheiro de comida que já cria a vontade de comer. Fica enchendo minha boca de saliva e minha cabeça de desejo até eu comer o que ele quer e ficar satisfeito.

Como o Palavrôncio, ele não come com a boca, ele come com os olhos. Isso significa que ele se alimenta de ver a gente comer. Tem gente que tem Nhonhos muito gulosos que comem muito com os olhos e fazem com que essas pessoas comem muito também. É preciso aprender a controlar o seu Nhonho para que ele não controle você.

A fome, como eu já disse, vem da barriga. Ela costuma ter hora para aparecer. Às vezes, ela aparece junto com a vontade de comer, mas, geralmente, a vontade de comer aparece muito mais vezes no dia que a fome. Foi a fome que, com seus horários regulados, organizou as nossas refeições e disse para a gente para comermos café da manhã, almoço e jantar.

O responsável pela fome, na verdade, é ela: a Cricri. Ela mora dentro da nossa barriga, bem atrás do nosso umbigo. A Cricri é um bichinho bem magrinho que tem uma cabeça com váááárias bocas, cada uma com um formato diferente. Ela passa a maior parte do dia dormindo, mas, quando acorda, ruge que nem um leão!

Sabe aquela sensação de fome que temos? É a Cricri dando cambalhota na nossa barriga, esperando para ser alimentada.

Aliás, alimentar a Cricri não é fácil, não. Com o monte de bocas que ela tem, cada uma precisa de uma comida diferente. Eu ainda não consegui contar quantas bocas uma Cricri tem. Só sei que o melhor para alimentá-la é comer o maior número de cores e formas diferentes.

Como assim? Ora, a Cricri vive dentro da nossa barriga, atrás do umbigo. E é para lá que vai a nossa comida depois que engolimos tudo. Tudo passa pela Cricri. As suas mais diversas bocas com seus mais diversos formatos têm, cada uma, um gosto muito peculiar e único. Uma gosta de coisas verdes em forma de folha. Outra gosta de arvorezinhas brancas. Tem outra que quer comer coisas bem vermelhas. E por aí vai.

Isso tudo não é porque ela come a nossa comida. O que a Cricri come são as cores e as formas da comida que nós comemos. Ela vê o que chega na nossa barriga e cada boca come uma imagem até ficar satisfeita.

Dá até para enganar por um tempinho a Cricri e não dar tantas cores e formatos diferentes para ela se alimentar. Mas chegar uma hora em que a boca que não está sendo alimentada começa a reclamar e aí já viu, né?

Uma vez, eu parei de comer espinafre e couve-flor. Quando as bocas dessas cores e formas começaram a reclamar, foi terrível! Minha barriga ficou estranha, eu fiquei enjoado e não conseguia fazer nada. Só depois que eu prometi para a Cricri que voltaria a comer espinafre e couve-flor foi que as bocas me deram um descanso.

Desde então, eu como de tudo um pouco – mesmo que seja espinafre ou couve-flor. Eu, se fosse você, também comeria tudo o que sua minha mãe põe no prato. Não queira deixar a sua Cricri irritada.

A gente pesa mais antes ou depois do banho?

Você sabia que o nosso corpo não é igualzinho o dia todo? Pois é, ele pode sofrer pequenas alterações conforme o dia passa e devido às coisas que fazemos.

Por exemplo, você sabia que a gente é mais alto de manhã do que de noite? É verdade! Quando a gente acorda de manhã, nosso corpo está descansado e com os ossos bem separadinhos porque passamos um tempão deitados. Ao levantarmos, estamos alguns milímetros mais altos do que ao deitarmos para dormir. De noite, depois de passarmos o dia pulando, correndo e brincando, o corpo está cansado e com os nossos ossos todos juntinhos.

A maioria das pessoas nem percebe isso porque acordam que nem eu: se arrastando e morrendo de sono, quase um sonâmbulo.

Sabendo que nosso corpo muda, fica a pergunta: a gente fica mais pesado antes ou depois do banho? A verdade é que a resposta para essa pergunta é meio complicada. Por quê? Ora, porque depende de alguns fatores.

A maioria das pessoas diria que esses fatores são o quanto você se sujou antes do banho ou quanto cabelo você tem (cabelo molhado pesa mais que cabelo seco). Só que, para mim, o fator determinante é o que você escutou ao longo do dia.

Como assim? Acontece que, ao longo do dia, nós escutamos muitas coisas, algumas boas e algumas más. As boas entram pelo ouvido e viram pensamentos (embora, em algumas pessoas, entrem por um ouvido e saiam pelo outro). As coisas ruins, por outro lado, são filtradas no ouvido e não entram na nossa cabeça.

E o que acontece com as coisas filtradas? Elas ficam dentro do ouvido na forma de cera. Quando tomamos banho direito e limpamos bem as orelhas e ouvidos, tiramos todas essas coisas ruins de dentro de nós e ficamos mais leves.
Tem gente que ouve muita besteira ao longo do dia, por exemplo, mãe de criança que fala palavrão. Tem outras pessoas que falam muita besteira e escutam as próprias besteiras. Isso tudo pesa muito, além de ser bem chato.

Assim, ao tomar banho, teste o quanto você ouve de besteira no seu dia. Pese-se antes e depois de se lavar e veja a diferença de peso. E não se esqueça de limpar bem atrás da orelha e dentro do ouvido para poder funcionar.

Por que os adultos são gente grande e as crianças são pequenas?

Muitas vezes a gente quer fazer alguma coisa e nossos pais não deixam. Eles sempre falam que é coisa de gente grande. Mas é uma injustiça os adultos serem grandes e poderem fazer coisas que as crianças, só porque são pequenas, não podem.

Bom, você já deve ter percebido que está sempre crescendo, não é? As roupas do uniforme da escola do ano passado não cabem mais, os dentes estão caindo e você consegue alcançar coisas que não conseguia antes. Só que tá demorando muito para ficar grande que nem gente grande? Você não sabe nada!

A gente já foi muito menor do que somos hoje. Verdade! Menor do que uma joaninha, do que um fio de cabelo, menor do que a menor coisa que a gente consegue pensar. Pois é, assim de pequeno.

E não só éramos tão pequenos, como também não estávamos inteiros. Como assim? Nós já estivemos divididos pela metade. Serinho! Uma metadinha do piquitito de gente que nós éramos estava com a mamãe e o outro pedacinho com o papai.

Um dia, eles resolveram juntar esses pedacinhos para a gente poder crescer. Foi preciso muito amor para poder colar um pedacinho no outro. Depois que eles colaram, guardaram na barriga da mamãe e a gente nunca mais parou de crescer.

Então, apesar de a gente ainda não ser adulto, já somos gente grande sim! Somos muito maiores do que já fomos. Já crescemos um montão! Já podemos fazer um monte de coisas que não podíamos fazer antes. Pergunte para a mamãe. E passou tão rápido que a gente nem lembra!

E não se preocupe com os adultos. Eles são apenas crianças que já pararam de crescer. Daqui a pouco a gente chega lá.

Direitos autorais

Contos Infantis Infantil Criança História para Dormir Respostas Fantásticas para Perguntas Intrigantes Por que porque como fantasia
Protected by Copyscape Duplicate Content Software
%d blogueiros gostam disto: