Por que algumas aves voam e outras não?

Houve um tempo em que nenhum bicho voava. Nenhum mesmo. Vivam todos para cima e para baixo e era a maior confusão. Tinha bicho demais andando por aí. Todos se esbarravam, passavam na frente ou iam muito devagar e engarrafava tudo.

Um dia, uma galinha estava andando de um lado para o outro, preocupada com todo esse trânsito pelo mundo. E a gente sabe como as galinhas ficam tensas quando têm um problema, certo? Ficam dando voltas pelo galinheiro, andando sem parar, começam a gaguejar enquanto cacarejam e sai pena para tudo quanto é lado.

A essa altura do campeonato, a galinha já estava sem voz de tanto cacarejar gaguejando, quase sem penas e bastantes cansada de tanto andar. Foi aí que aconteceu: ela ia dar só mais uma volta no galinheiro e parar quando tropeçou numa pedra.

Você já viu alguém tropeçar, como abre os braços para tentar se equilibrar de volta? Pois bem, a galinha fez o mesmo. Só que ela não tem braços, tem asas.

Naquele tempo, as asas nem se chamavam assim ainda. Todo mundo chamava de “aqueles braços estranhos”, o que deixava quem tinha os tais “braços estranhos” muito triste.

Bom, acontece que, ao abanar seus “braços estranhos” para não cair, a galinha voou! Ela ficou super animada com a invenção que foi correndo contar e ensinar para todos os seus amigos que tinham “braços estranhos” como fazer.
“É só cair e mexer as… as… as… os braços!”, disse a galinha. Cansada e nervosa como estava, mas ansiosa pra contar logo pra todo mundo, ela gaguejava e se enrolava toda para explicar. Ficava lá repetindo “agora mexe as… as… as… O braço!” O pessoal que tava aprendendo, que não sabia que a galinha estava confusa e gaguejante, achou que ela tinha dado nome pros seus “braços estranhos” e gostaram. Ficou “as asas”, e é assim até hoje.

O nome que a galinha voadora propositalmente inventou foi “voar”, isso sim. Ela pensou bastante e decidiu que essa palavra queria dizer tudo o que ela queria fazer: “eu vou no ar”, voar!

Mas bem, a galinha foi contando para todos os pássaros, um grupo de cada vez: os rouxinóis, os sabiás, as gaivotas, as corujas, as águias etc. No final da fila, estavam os pingüins, os avestruzes e as outras galinhas.

Só que a voz da galinha voadora estava se acabando de vez. Então ela avisou para o pessoal que sobrou que só conseguiria continuar no dia seguinte e foi descansar um pouco. Mas, assim que os pingüins e avestruzes foram embora, as outras galinhas foram para cima da galinha voadora e pediram para ela ensinar logo, naquele dia mesmo, como fazia para voar. A galinha voadora estava super cansada e sem voz, mas acabou cedendo às insistentes amigas.

A aula acabou sendo a pior do dia, cheia de mímicas e de má vontade, feita às pressas para poder ir logo dormir. No dia seguinte, as galinhas acordaram e não conseguiram voar direito – nem mesmo a galinha voadora, quem tinha inventado o voar. Acontece que as galinhas têm uma memória muito pequenininha, do tamanho das suas cabecinhas. Então elas não se lembravam mais como voar, nem mesmo a galinha voadora que, depois de ter dormido tão pesado pelo cansaço, não se lembrava nem de ter sido a inventora do vôo.

Quando os pingüins e avestruzes chegaram para a aula de voar, ficaram chateadíssimos com as galinhas, que não sabiam voar e muito menos ensinar para eles como fazer. E as outras aves, que sabiam voar e tinham ótimas memórias, já tinham ido cada uma para um canto voando e cantando alegremente. Não sobrou um para contar o que fazer para os que ficaram por último.

Tristíssimos com aquilo, os pingüins resolveram morar nos pólos, um lugar bem longe e bem frio onde nenhum outro pássaro queria ficar – principalmente as galinhas.

Os avestruzes, por usa vez, resolveram ficar onde estavam, mas fazem questão de mostrar seu descontentamento com todos enfiando sua cabeça num buraco no chão sempre que vêem alguém de quem não gostam, principalmente as galinhas. Os avestruzes podem ser muito temperamentais assim mesmo.

E as galinhas? Até hoje elas não aprenderam direito como se voa. Para falar a verdade, se você contar para uma galinha que foi uma companheira dela quem inventou o vôo, ela vai rir na sua cara e dizer o que toda galinha fala quando não se lembra de alguma coisa: “có co córicó córicó có-có.” Vai entender, né?

Desenho fantástico feito por Rafael BrandãoGalinha Voadora – by Rafael Brandão

Anúncios

7 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Keyla
    set 13, 2010 @ 13:32:00

    Que criativo.. e pior que galinha é um bichinho burrinho e esquecido mesmo.. kkkkk!!

    Agora entendo porque as galinhas ficam tentando voar toda desengonçada, é para ver se se lembram e conseguem mover as as as….

    Responder

  2. Sarah
    set 15, 2010 @ 11:18:51

    Ótima também. Criatividade com realidade, misturando aves que voam e que não voam, habitat dos pinguins e a mania de se esconder do avestruz. Muito bom.

    Responder

  3. Trackback: Tá ficando chique! Ou quase… « Respostas Fantásticas para Perguntas Intrigantes
  4. Maya
    set 19, 2010 @ 09:26:11

    Amei essa!!! A ilustração ficou 10!

    Responder

  5. Trackback: Existem alienígenas? « Respostas Fantásticas para Perguntas Intrigantes
  6. Trackback: Por que o mar é salgado? « Respostas Fantásticas para Perguntas Intrigantes
  7. maria antonia
    ago 22, 2012 @ 17:03:13

    que chato

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Direitos autorais

Contos Infantis Infantil Criança História para Dormir Respostas Fantásticas para Perguntas Intrigantes Por que porque como fantasia
Protected by Copyscape Duplicate Content Software
%d blogueiros gostam disto: